Em Maricá, índice de infestação do mosquito da dengue está abaixo do risco

Share Button

A Secretaria Municipal de Saúde anunciou o último Levantamento do Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) em Maricá, que está em 0,5%, considerado de baixo risco.

Dessa porcentagem, os bairros que apresentaram maior taxa foram São José, Itapeba, Zacarias e Barra. Já os de Itaipuaçu, Inoã e Centro não tiveram nenhuma notificação.

“Os índices maiores nesses quatro bairros se devem à existência de muitas casas de veraneio fechadas, geralmente com piscinas abandonadas, com água não tratada”, explica Lucier Gonçalves – o Binho – coordenador do serviço de combate à dengue no município.

Nesta segunda (21.03), agentes da saúde voltaram a visitar residências dos locais mais críticos, iniciando o 2º ciclo de ações preventivas contra a proliferação do mosquito, que vai até abril. O primeiro ciclo aconteceu nos meses de janeiro e fevereiro, com a utilização sistemática do motofog, que espalha o fumacê no período da manhã e da tarde.

Uma das medidas de prevenção durante as visitas é contactar os proprietários das casas fechadas para conscientizá-los da necessidade de manterem o local livre de focos do Aedes.

“Também lembramos aos moradores em geral sobre o perigo de deixarem caixas d’águas e tonéis sem proteção, como ainda sobre os pratinhos de vasos de plantas, que devem ser cobertos com terra. A ajuda da população é importantíssima para continuarmos com o índice abaixo de 1%”, comenta Binho.

Share Button

Você pode gostar...