Se eleitos, principais candidatos ao governo do Rio terão o desafio de melhorar o ensino médio

Share Button

Agência Brasil

Diante do resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), divulgado segunda-feira (19), os candidatos ao governo do Rio de Janeiro demonstram preocupação com a qualidade do ensino médio nas escolas públicas do estado. Com a maioria das notas em torno da média nacional (500 pontos de um total de mil), mas com poucas escolas públicas entre as mais bem avaliadas, o próximo governante fluminense terá que enfrentar esse desafio.

O candidato do Partido Verde (PV) ao governo do estado, Fernando Gabeira, aposta em medidas que integrem escolas, famílias e comunidade por meio de políticas públicas de saúde, segurança e trabalho que favoreçam a região onde a unidade está instalada. “As escolas vivem um descaso. Achamos que uma a educação tem que ser integrada com uma política para as comunidades”.

O candidato do PV também defendeu mais investimentos em infraestrutura, na formação dos professores, além de mudanças no currículo do ensino médio. “O fato de termos duas indústrias que dependem de mão de obra qualificada [petróleo e turismo] nos obriga a fazer isso”, afirmou.

O candidato à reeleição pelo PMDB, o governador Sérgio Cabral afirmou, por meio de nota, que “décadas de descaso” influenciaram na queda de qualidade do ensino no Rio. Segundo ele, apesar dos investimentos em infraestrutura e na formação do professor nos últimos três anos e meio “não há milagre. Educação é política de médio e longo prazo, e inclui política salarial”.

Cabral destacou que os professores no estado do Rio ficaram 12 anos sem receber aumento de salário e que além de fazer isso, contratou mais mil professores. “Estamos climatizando as escolas e investindo no professor. Hoje, o salário do professor tem um padrão de recuperação que há muito tempo não tinha. Mas ainda tem muito que melhorar”.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação, duas de cada três escolas (66%) da rede alcançaram média superior à nacional, de 500 pontos. No entanto, do total de escolas no estado que tiveram as notas divulgadas (1,8 mil), 25% não conseguiu alcançar a média.

Por meio de nota, a secretaria informou que começará em agosto o reforço para o Enem 2010 e que espera notas melhores. “Com os investimentos em contratação e valorização dos profissionais, infraestrutura e modernização da rede os alunos terão condições de apresentar melhores resultados, caracterizando um avanço na qualidade do ensino”, diz.

Share Button

Você pode gostar...