Prefeitura de Rio das Ostras se antecipa à Lei do protetor solar

Share Button

Na última semana, os deputados federais votaram o Projeto de Lei que torna obrigatório o fornecimento de protetor solar aos empregados que trabalham a céu aberto. Depois de passar pelo Senado, os parlamentares esperam que a obrigatoriedade se estenda à distribuição do filtro, pelo Sistema Único de Saúde. O objetivo é reduzir a incidência de câncer de pele entre trabalhadores nos casos em que a sua exposição ao sol é obrigatória. Mesmo antes de se tornar Lei sancionada pela presidenta Dilma Rousseff, há alguns anos a Secretaria de Ordem Pública e Controle Urbano já adotou o procedimento. Todos os guardas municipais da Prefeitura de Rio das Ostras, em especial os que atuam como guarda-vidas, têm à disposição o produto.

O secretário, Coronel Sérgio Pinto, declara que os trabalhadores são a base da Administração Municipal e que por isso a Prefeitura investe em melhorias nas condições de trabalho e proteção à saúde desses servidores.

Sérgio Pinto disse ainda que a aquisição de protetor solar já faz parte da rotina administrativa da Secretaria de Ordem Pública. “O filtro solar é um produto tão importante como a água, os equipamentos e as fardas para a atuação da guarda municipal”, complementou.

Somente no ano passado foram utilizados 300 tubos de protetor solar pela corporação.

Evandro da Silva atua no trânsito e elogia a iniciativa do Poder Público. “Acho muito bom a Prefeitura se preocupar com o nosso bem-estar. Tendo mais saúde, temos mais disposição para o trabalho”, avalia, dizendo que usa protetor três vezes por dia.

O servidor Márcio Mansur trabalha como guarda-vida há oito anos. Ele conta que antes ele comprava filtro solar, já que sua profissão obrigatoriamente exige o uso. Depois que a Prefeitura passou a disponibilizar, conseguiu fazer “uma boa economia”, uma vez que utiliza o produto a cada duas horas. “Com essa simples ação a Prefeitura mostra que se preocupa e que valoriza os funcionários”, declarou.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o câncer de pele é o mais comum no Brasil. A dermatologista Isabelle Martinelli informa que existem três tipos, sendo o mais frequente, o carcinoma basocelular, mais comum em idosos e o mais grave, o melanoma, mais comum em jovens. A médica explica que a doença pode ser evitada. Segundo ela, as pessoas precisam se proteger não apenas quando vão à praia ou à piscina, mas no dia-a-dia, principalmente quando trabalham expostas ao sol. “É importante passar o filtro 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicá-lo a cada três horas para reforçar a proteção”, frisou Isabelle.

Share Button

Você pode gostar...