Ampla alerta sobre os cuidados na hora de preparar a iluminação natalina

Share Button

Ampla alerta sobre os cuidados na hora de preparar a iluminação natalinaA Ampla alerta sobre cuidados na hora de preparar a iluminação natalina. Apesar da beleza que toda a decoração proporciona, ela também oferece riscos às pessoas. Utilizar com eficiência e segurança a energia natalina em árvores de natal, jardins, praças, varandas, janelas, cascatas, shopping e lojas é essencial para que a festa não acabe mais cedo e com maiores problemas. Além disso, é preciso ficar atento para o aumento do consumo de energia a que estão expostos.

A maior parte dos acidentes com eletricidade acontecem por falta de informação, atenção ou pelo uso errado de materiais e ferramentas. A falta de atenção e cuidado com as instalações elétricas pode ocasionar incêndios e até a morte. O fogo pode começar por algum curto-circuito na rede elétrica ou pelo uso prolongado das luzes, que superaquecem e queimam. Para evitar problemas de má instalação, é recomendada a leitura atenta do manual de instruções dos enfeites.

Como economizar energia

Na hora de adquirir o conjunto dos chamados “pisca-piscas”, é importante atentar também para uma informação dada em watts (W), contida na embalagem, que corresponde à potência demandada por determinado produto. Quanto maior for a potência, maior será o consumo do enfeite de Natal. Considerando apenas um conjunto padrão de 100 “pisca-piscas”, com 50W de potência, consome 16,5 KWh/mês. Se ligado por 11 horas diárias, das 19h às 6h da manhã, por exemplo, pode significar um aumento de R$12,93 na conta de energia sem considerar a taxa de iluminação pública. A dica é a redução do tempo de funcionamento dessas lâmpadas decorativas.

Se forem ligadas das 19h à meia-noite, por exemplo, o consumo cai para 7,5 KWh/mês, o que equivale a apenas R$5,88 a mais na conta de energia sem considerar a taxa de iluminação pública. Outra dica é o uso de produtos com a tecnologia Led, que consomem menos energia e são mais seguros. Além disso, a economia de energia pode chegar a 80%.

Um perigo a que muitas pessoas estão expostas frequentemente sem sequer perceberem é com relação aos benjamins ou ‘T’s’. O acessório concentra em um ponto só intensidade de correntes elevadas, que podem provocar aquecimento, chegar ao ponto do derretimento do “T” e causar um princípio de incêndio. Além disso, sendo um ponto quente, ele automaticamente aumenta o consumo de energia. Ou seja, significa desperdício, já que a energia é transformada em calor sem nenhuma utilidade.

Geralmente, os principais erros cometidos pelos consumidores ao instalarem a iluminação natalina são o uso exagerado dos “T’s”, extensões e emendas mal feitas e com falhas no isolamento, além de dimensionamentos inadequados para as instalações dos enfeites natalinos.

Para uma boa instalação de iluminação para o Natal, é preciso identificar o local, depois dimensionar corretamente os enfeites natalinos. Em seguida, providenciar as ligações bem dimensionadas e fazer o isolamento de emendas e tomadas. Essas dicas são essenciais para quem tem criança em casa e quer passar um Natal cheio de luz.

Outras dicas:

Desligue o conjunto da tomada de energia ao substituir lâmpadas e nunca execute esse procedimento puxando a tomada pela fiação;

Não coloque as luzes próximas a enfeites feitos de papel ou cartolina, por exemplo. O ideal é não usar esse tipo de decoração na árvore se a idéia é colocar pisca-piscas nela;

Estabeleça um horário definido para ligar e desligar, sendo o ideal das 18h à meia-noite, evitando desperdício de energia e riscos de acidentes e principio de incêndio;

Evite deixar a instalação em área sujeita à chuva ou alagamento e não deixe a fiação ao alcance de crianças;

Evite que a árvore de Natal bloqueie a porta, a janela ou a circulação das pessoas em casa. Deixe-a também longe de materiais de fácil combustão, como sofás e guarda-roupas;

Não instale o conjunto de lâmpadas decorativas em estrutura metálica e também pontiaguda;

Os fios desencapados provocam choques, curtos-circuitos e, às vezes, incêndios. Passar fios por baixo de tapetes ou por trás de cortinas também pode causar incêndios;

Conjuntos para fachada de prédio com potência mais elevada:

Contrate serviço de um engenheiro, técnico ou eletricista para dimensionar a fiação e a proteção do circuito de acordo com a carga a ser ligada;

No caso de fachada, verifique a proximidade com a rede de energia, pois, no caso de chuva forte com vento, a iluminação decorativa instalada pode vir a tocar a rede elétrica e provocar curtos-circuitos;

Sobrecarga nos circuitos:

As instalações devem ser compatíveis com o acréscimo de carga.

Na maioria dos casos, as lâmpadas são ligadas em tomadas já utilizadas por outros aparelhos. Isso pode levar à sobrecarga e, consequentemente, provocar um incêndio;

Procure um eletricista de sua confiança para verificar se as instalações são adequadas.

Ligações mal feitas (“gambiarras”):

Emenda de fio mal feita pode causar aquecimento e conseqüente aumento do consumo de energia;

O mau isolamento pode permitir a passagem da corrente elétrica e causar curtos-circuitos ou acidentes com terceiros;

Utilizar fios de telefone ou outro material fora de padrão pode acarretar aquecimento, curtos-circuitos e princípios de incêndio.

Em caso de acidente:

Isole o local para que não haja a aproximação de pessoas e jamais toque em fios partidos;

Não retire objetos ou pessoas que estejam em contato com fios até que um profissional qualificado assegure que a energia foi desligada.

Share Button

Você pode gostar...