Olimpíadas e Copa do Mundo garantirão benefícios econômicos ao estado

Share Button

Por Marcelle Colbert

Os Jogos Olímpicos de 2016, a Copa do Mundo de 2014 e a exploração do pré-sal prometem ser os grandes protagonistas do futuro cenário econômico do Rio de Janeiro. Os benefícios que os barris de petróleo e as obras de infraestrutura vão proporcionar no desenvolvimento do território fluminense foram apresentados no seminário Exame Fórum – A Hora e a Vez do Rio, nesta terça-feira (5/10), no Centro de Convenções Bolsa de Valores. A nova dimensão que o estado ganhará no contexto econômico nacional é um deles.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, que participou do último painel do evento “A vocação do Rio – qual o perfil da cidade após as Olimpíadas e as novas governanças para esse novo papel”, o crescimento do ciclo econômico fluminense está baseado no descobrimento do pré-sal, no aumento de exportações e importações e na instalação de siderúrgicas e portos. Ainda segundo Julio, outro ponto importante desse novo cenário é a mudança da gestão do Estado.

“A agenda esportiva tem dois retornos: o desenvolvimento de atividades privadas e a melhoria da urbe. Houve investimentos nos setores de transportes, com a inauguração da Linha 4 do metrô, o projeto do Arco Metropolitano e a compra de novos trens, de segurança, com a ocupação de comunidades carentes, e de meio ambiente, através da recuperação das lagoas, por exemplo. Temos dois grandes desafios: sincronizar as possibilidades de emprego com as qualificações e melhorar a Região Metropolitana do Rio”; resumiu Bueno.

Ao lado do diretor do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), André Urani, Elvio Gaspar, diretor das áreas de inclusão social e créditos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), destacou as múltiplas vocações do Rio, entre elas, a experiência na produção de grandes eventos. De acordo com Gaspar, a questão central é a oportunidade de organizar o estado para o futuro. A Copa e as Olimpíadas serão fundamentais para atrair os recursos necessários para tornar o Rio de Janeiro mais moderno.

“Precisamos aproveitar os eventos esportivos para mostrar o estado. Para isso, não basta fazer uma bela festa. É necessário reinventar uma nova cidade, com o trânsito organizado e a recuperação de comunidades, como já está acontecendo. A vocação para o petróleo e gás, energia e turismo de eventos precisa ser ainda mais trabalhada. Uma das estratégias que o banco está desenvolvendo é oferecer taxas de juros mais baixas. Nosso desejo é de que essa grande renovação urbana possa reconstruir a cidade não apenas para tratar os velhos problemas, mas os futuros”; destacou Elvio Gaspar.

Realizado pela revista Exame, o seminário abordou ainda o tema “Petróleo – como formar fornecedores competitivos, o desafio da mão de obra, as aventuras logística e tecnológica”. Ao longo dos últimos anos, o estado tem registrado crescimento na carteira de investimentos, melhorando assim sua economia. Na área de petróleo e gás, o Rio é o maior produtor do país, com 85% do total. A expectativa é passar para 95%. Com o pré-sal, essa proporção aumentará, já que 60% dos campos estão em território fluminense, ou seja, cerca de 40 bilhões de barris em volume recuperável.

Fonte: Comunicação Gov. Estado RJ

Share Button

Você pode gostar...